• Thais Roji

Dias quentes, dias calmos e comida verde

Atualizado: 6 de Fev de 2019

Adoro esse momento do ano: fim de um ciclo, início de outro. Teve um tempo em que o importante era comprar roupa nova, estar na praia, perder o peso extra, ganho na loucura de dezembro, e fazer uma listinha de novas metas. Agora, aos 44, só me restou o último item, fazer a minha lista para os próximos passos.


Eu ADORO estar na cidade no momento em que tudo está se aquietando, já não existe trânsito, stress e filas. Aproveito os últimos dias para limpar a casa, arrumar gavetas e, esvaziar armários com o que está em excesso. E é impressionante! Sempre tem coisa, roupa, papel além do que preciso. Momento de ir organizando, de ficar quieta, dormir na hora do sono e acordar quando meu corpo pede. O mar... sim, o mar é importante para começar tudo de novo e irei já já, sem pressa, sem fila, sem stress.


O primeiro item da minha lista: aplicar no dia a dia a simplicidade. Conseguir organizar a minha rotina, meu trabalho e não enlouquecer, nem ficar acabada. Acho que foi o grande ensinamento desse ano. Se eu me organizar internamente, vou me organizar fora também e o resultado será o meu trabalho fluindo melhor com mais quantidade e qualidade.

Segundo item: Aprender a dizer não e assumir só o que dou conta. Tenho muito orgulho em trabalhar e ainda cuidar da rotina de uma casa com marido, dois filhos e um cachorro. Os momentos em que isso não aconteceu dessa forma, sem ajuda extra, me deixaram menos cansada por um lado mas por outro, era bem esquisito.

Acho fundamental cozinhar para minha família e sinto que a verdadeira educação das crianças começa nesse ponto: cuidando de suas, nossas coisas, fazendo suas camas e afazeres de casa. Quando vivi na Europa isso me marcou profundamente. Mas o meu desafio é simplificar e organizar a logística de forma que eu não fique acabada. A hora que o trabalho fora de casa vem com intensidade, sim, eu rolo ladeira abaixo, fico louca, estressada, exaurida e a casa "buga" geral. Então... primeira meta: Logística organizada+ simplicidade.


Acho que a minha organização na cozinha já tem surtido efeitos. Tenho cozinhado de maneira mais simples. E isso começa no domingo, nas compras da ecofeira. Procuro comprar menos coisas, as mais frescas e o cardápio vai girando em torno disso. Durante a semana, vale uma comprinha rápida de laticínios, frutas e alguma proteína. E esse tem sido o tema das aulas que dou para as pessoas. Claro, adequando a rotina e gosto do dono da casa mas sempre buscando a logística simples + cardápio saudável.


Itens que procuro fazer para manter na geladeira e despensa, que me ajudam no cardápio da semana na minha casa:


  • Maionese (de abacate ou tofu com ervas)

  • Pesto (com variadas folhas que trago da ecofeira + manjericão e nuts que eu tiver em casa)

  • Legumes assados (chips de tubérculos, em baixa temperatura ou legumes como abóbora com balsâmico e azeite, por exemplo)

  • Babaganouche ou homus (porque amo, em primeiro lugar, por que complementa uma refeição, porque diminui o consumo de proteína animal em casa e essas pastinhas são super proteicas)

  • Pastinhas de queijo vegetal (mesmas razões anteriores)

  • Folhas lavadas e prontas para consumo

  • Frutas

  • Legumes e cogumelos

  • Massa pronta da Rotisseria Eldorado (uma carta na manga quando o trabalho aperta e não tenho tempo para cozinhar muita coisa)

  • Leite, creme de leite, manteiga, queijo mussarela fatiada (para lanche da escola e pizza) e iogurte

  • Grãos como cevadinha, quinua, triguilho e leguminosas como grãos de bico, lentilha e feijões variados

  • Nuts e sementes variadas (tenho sempre mas não uso o tempo inteiro, só para fazer os pães). Utilizo sempre no pesto também. Se não fossem caras, usaria mais. Compro na Cerealista e guardo na geladeira para não ficarem rançosas. Também deixo de molho na água na hora de usar, para elas ficarem mais digeríveis.

  • Feijão cozido, molho de tomate, pão de queijo, ervilhas e coco fresco, no freezer.

  • Tahine e azeite, muito azeite. Especiarias secas na despensa e frescas no jardim.

  • Farinhas com e sem glúten (além dos pães, gosto de fazer panquecas e tortas)

  • Macarrão (fundamental para as refeições rápidas)

Essa é uma lista rápida, básica e permite uma infinidade de pratos. Não precisa ter tudo, não precisa e nem deve ter muita quantidade. A criatividade surge na escassez e tenho segurado bastante meus ímpetos em comprar além do necessário, principalmente na ecofeira, com legumes e folhas sempre lindas e frescas.

Não gosto de usar termos importados mas o caminho realmente é esse, o do reino vegetal (Plant based). Você gosta de carne, não vive sem? Beleza! Mas que seja só de vez em quando, priorizando a boa origem da carne que você vai comer. Uma geladeira farta de legumes, vegetais e frutas rende uma ótima e criativa rotina alimentar.


Ontem o almoço foi feito em 15 minutos. Nada demais. Eu queria que fosse rápido, pois ia sair e leve, porque estava quente pra caramba. Também queria usar uns verdes que tinha ganho da querida Dona Helena, da barraca favorita da Ecofeira: folhas de batata doce, espinafre chinês e bertalha. Aliás, uma das coisas que mais amo na barraca da família Nakashima é a possibilidade de conhecer espécies menos conhecidas por nós, simples e "limitados ocidentais" e as Pancs. Sempre tem algo que não conheço. Além desse espinafre, minha última descoberta foi o Caruru. Adorei! Coloquei na receita e no pesto.



Massa com shiitake, verdes e pesto


250g de massa, usei mini gravatinha e penne (queria acabar com os abertos)

1 xícara de shiitake, cortado em tiras

1/2 cebola, picada

1 dente de alho, picado

1 punhado de verdes (usei caruru, espinafre chinês e bertalha)

1 punhado de ervilhas (usei congeladas)

azeite, o quanto baste para refogar

suco de 1 limão

sal e pimenta do reino, ao gosto

Pesto, para acompanhar






Separe e pique os ingredientes.

Coloque água numa panela e leve para ferver. Quando ferver, coloque sal e a massa para cozinhar. Cozinhe no tempo determinado no pacote.

Numa frigideira, coloque um fio generoso de azeite e refogue a cebola, depois alho. Junte os cogumelos e mexa ocasionalmente. Não mexa o tempo todo para ele poder dar umas tostadinhas. Tempere com sal e pimenta.

Junte as folhas picadas e as ervilhas. Refoque por mais uns minutinhos e desligue o fogo. Junte o limão e corrija o sal.

Escorra a massa e misture o molho. Coloque uma boa colherada de pesto em cada porção. Se não for usar o pesto, fica delícia colocar um pouco de queijo de cabra e hortelã picada. E um pouco mais de azeite.


Pesto


1 xícara (chá) de manjericão

1 xícara (chá) de verdes diversos (espinafre, folha de cenoura, salsinha,etc)

½ xícara (chá) de nozes e castanha do pará

1 dente de alho

1 pedaço pq de queijo parmesão ou pecorino (depende do gosto. Se vc quiser um pesto mais cremoso, coloque um pedaço maior, vá testando)

1 xícara (chá) de azeite (coloque aos poucos, você vai sentindo a quantidade necessária)

Gostas de suco de limão (comecei a colocar nos últimos tempos, invenção minha mas acho que o pesto fica mais leve

sal


O uso do pilão é o mais legal para se fazer o pesto pois além da bruxaria, os ingredientes ficam pedaçudos. Eu gosto... Mas geralmente, não uso! rs

Coloco no processador, começando pelas folhas e alho. Depois as nozes e o restante dos ingredientes. Vou aos poucos, para ir sentindo a quantidade de queijo e azeite. São eles que podem deixar o pesto mais pesado, então, muitas vezes coloco menos quantidade do que manda a receita.

Amo pesto! E a variação dos ingredientes é infinita! :)


#greenpasta #newyear #simplicity #cookinggreen #pancs #caruruplanta #espinafrechinês #plantbased